COMÉRCIO INTERNACIONAL

13/03/2017

 AFC

 

Organização Mundial do Comércio (OMC) em 1995 – entrou em vigor no dia 22 de fevereiro de 2017 o Acordo de Facilitação do Comércio da OMC,  acordo de maior relevância desde 1995 .

 

O Acordo de Facilitação do Comércio (AFC) – tem como objectivo simplificar e clarificar os procedimentos internacionais de importação e de exportação, as formalidades aduaneiras e os requisitos de trânsito. Tendo como consequência  a maior facilitação das  formalidades administrativas relacionadas com o comércio, bem como menor onerosidade, contribuindo, assim, para um importante e muito necessário estímulo ao crescimento económico global. O acordo foi celebrado durante a Conferência Ministerial da OMC, em Bali, em 2013.Infra enunciamos o comunicado de Imprensa da EU:

 

 

UE congratula-se com entrada em vigor do Acordo de Facilitação do Comércio da OMC

 

Bruxelas, 22 de fevereiro de 2017

 

O Acordo de Facilitação do Comércio (AFC) — o acordo comercial multilateral mais importante desde a criação da Organização Mundial do Comércio (OMC) em 1995 — entra hoje em vigor.

 

As ratificações por Chade, Jordânia, Omã e Ruanda, hoje, significam que o acordo atingiu o limite pré-determinado dos 110 membros da OMC necessários para a sua imediata entrada em vigor.

 

Este acordo visa simplificar e clarificar os procedimentos internacionais de importação e de exportação, as formalidades aduaneiras e os requisitos de trânsito. Tornará as formalidades administrativas relacionadas com o comércio mais fáceis e menos onerosas, contribuindo, assim, para um importante e muito necessário estímulo ao crescimento económico global. As autoridades aduaneiras da UE desempenharão um papel fundamental na aplicação do acordo, agindo como exemplo a seguir e como motor dos futuros progressos em termos de facilitação do comérico dentro da UE e a nível internacional.

 

O acordo contribuirá igualmente para melhorar a transparência, aumentar as oportunidades de as pequenas e médias empresas participarem nas cadeias de valor mundiais, e reduzir as possibilidades de corrupção. O acordo foi celebrado durante a Conferência Ministerial da OMC, em Bali, em 2013.

 

Cecilia Malmström, a Comissária responsável pelo comércio, declarou: «A melhoria dos procedimentos nas fronteiras e uma mais rápida e maior fluidez dos fluxos comerciais irão revitalizar o comércio mundial em benefício dos cidadãos e das empresas em todas as partes do mundo. As pequenas empresas, a quem a burocracia e a complexidade das regras impõem grandes dificuldades todos os dias, serão especialmente beneficiadas.»

 

Neven Mimica, Comissário responsável pela Cooperação Internacional e o Desenvolvimento, acrescentou: «O comércio é um motor fundamental do desenvolvimento sustentável. O novo acordo contribuirá para explorar o enorme potencial do comércio. Estou disposto a dar toda a ajuda necessária aos nossos parceiros para que retirem o máximo partido do presente acordo.»

 

Onde mais podemos melhorar e, consequentemente, onde existe mais potencial para obter benefícios, é nos países em desenvolvimento. A UE quer que este acordo contribua significativamente para o aumento da participação dos países em desenvolvimento nas cadeias de valor globais. Por esta razão, a UE disponibilizou 400 milhões de euros para os ajudar a realizar as reformas necessárias ao cumprimento das regras estabelecidas pelo acordo.»

 

Para além da sua vertente relativa ao desenvolvimento, o acordo também faz parte dos esforços da UE para ajudar as pequenas e médias empresas europeias a aproveitar o potencial inexplorado dos mercados mundiais.

 

A UE tem sido um dos promotores do acordo e o motor dos esforços envidados para o finalizar. Na sequência da ratificação do acordo pelo Conselho e pelo Parlamento Europeu em 2015, a UE incentivou ativamente outros membros da OMC a que aprovassem o acordo sem demora. Embora a massa crítica tenha sido agora alcançada, permitindo que o acordo entre em vigor, a UE faz votos para que os restantes membros da OMC o possam ratificar em breve.

 

 

Contexto

 

As negociações sobre a facilitação do comércio tiveram início no âmbito da Agenda de Desenvolvimento de Doha. Reconhecendo o grande potencial de benefícios que o acordo pode trazer a todos e, em especial, aos países em desenvolvimento, os membros da OMC chegaram a acordo no final de 2013 para dar prioridade a um acordo autónomo. O acordo resultante envolve todos os membros da OMC.

 

Em dezembro de 2013, a UE autorizou um apoio financeiro para ajudar os países mais necessitados a cumprir e tirar pleno partido dos benefícios do Acordo de Facilitação do Comércio.

 

 

Please reload

Notícia Relevante

MODALISBOA INSIGHT

01/03/2019

1/10
Please reload

Notícias Recentes

October 19, 2020

October 19, 2020

October 16, 2020

Please reload

Arquivo
Please reload

SIGA-NOS:

  • Facebook App Icon

ANIVEC / APIV

ANIVEC / APIV - Associação Nacional das Indústrias de Vestuário e Confecção

Gerber Task Force

Gerber Task Force

Gerber

Gerber

TopAtlântico

TopAtlântico

GERBER TECHNOLOGY

GERBER TECHNOLOGY

GERBER TECHNOLOGY

GERBER TECHNOLOGY

Fabrics4Fashion

Fabrics4Fashion

The best selection of the finest fabrics for garments!

FUSÃO Comunicação e Imagem

FUSÃO Comunicação e Imagem