EUA - PREOCUPAÇÕES COM POLUIÇÃO POR MICROFIBRAS

Acredita-se que as roupas feitas de materiais sintéticos como o poliéster, poliamida e acrílica, derramam microfibras durante a lavagem doméstica e podem facilmente migrar das águas residuais domésticas para o oceano, causando uma importante fonte de poluição ambiental.


Alguns pesquisadores acreditam que as microfibras podem representar ameaças aos cursos de água e à vida aquática e, eventualmente, à saúde humana. Para atender às crescentes preocupações das microfibras, três estados dos EUA propuseram legislação para alertar os consumidores sobre a redução da libertação de microfibras.


A legislatura na Califórnia propôs uma lei, a AB 129 no início deste ano, para reconhecer a ameaça emergente que as microfibras representam para o meio ambiente. O projeto exige que o conselho estadual identifique as melhores práticas para fabricantes de vestuário para reduzir a quantidade de microfibras libertadas no ambiente, avaliar sistemas de filtragem de microfibras, adotar uma metodologia padrão para avaliar os sistemas de filtragem e publicar os resultados da eficiência de filtração de vários sistemas de filtragem. O projeto também exige que uma entidade pública que use um sistema de lavandaria e uma entidade privada que contrata uma agência estatal de serviços de lavandaria, instale um sistema de filtragem para capturar microfibras que serão descartadas durante a lavagem até 01 de janeiro de 2020.


Em maio de 2018, o Connecticut aprovou a Lei 5360 para tratar da poluição por microplásticos. Um grupo de trabalho de representantes da indústria de vestuário e da comunidade ambiental foi convidado a desenvolver um programa de consciencialização e educação do consumidor sobre a presença de poluição sintética por microfibras. O programa deve incluir informações orientadas para o consumidor explicando o processo pelo qual as microfibras são descartadas do vestuário e dispersas nas hidrovias, as melhores práticas para os consumidores eliminarem ou reduzirem o derramamento e informações sobre os esforços dos membros da indústria de vestuário, incluindo a etiquetagem, comprometendo-se a reduzir ou eliminar o derramamento de microfibras.


A Proposta A01549 de Nova Iorque que foi introduzida em abril de 2018, propõe a etiquetagem de vestuário que contenha mais de 50% de fibra sintética incentivando a lavagem das mãos e a etiquetar os produtos como contribuintes para o lixo de microfibras. Se aprovada, a regulamentação entrará em vigor a 1 de janeiro de 2021.


Notícia Relevante
Notícias Recentes
Arquivo

SIGA-NOS:

  • Facebook App Icon

ANIVEC / APIV

ANIVEC / APIV - Associação Nacional das Indústrias de Vestuário e Confecção

Gerber Task Force

Gerber Task Force

Gerber

Gerber

TopAtlântico

TopAtlântico

GERBER TECHNOLOGY

GERBER TECHNOLOGY

GERBER TECHNOLOGY

GERBER TECHNOLOGY

Fabrics4Fashion

Fabrics4Fashion

The best selection of the finest fabrics for garments!

FUSÃO Comunicação e Imagem

FUSÃO Comunicação e Imagem