MAIS DE TRÊS MILHÕES DE PRODUTOS CONTRAFEITOS E PIRATEADOS APREENDIDOS EM 2014

20/04/2015

 

Mais de três milhões de produtos contrafeitos e pirateados foram apreendidos no ano passado, registando as autoridades um aumento de 12% em relação a 2013.

 

Material apreendido pela ASAE.

 

O documento indica que a Autoridade Tributária (AT), PSP, GNR e Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreenderam um total de 3.041.938 de produtos contrafeitos e pirateados em 2014, mais 336.974 do que no ano anterior.

 

O Grupo Anti Contrafação (GAC) refere que as apreensões foram realizadas no âmbito das inúmeras ações de fiscalização e de investigação levadas a cabo em 2014, operações frequentemente executadas em cooperação com entidades nacionais e internacionais.

 

Segundo o relatório, mais de 70 por cento dos bens contrafeitos apreendidos foram vestuário, calçado e acessórios, como óculos, cintos, malas e relógios, seguindo-se as embalagens, rótulos e etiquetas (17 por cento).

 

As autoridades apreenderam um total de 2,5 milhões de peças de vestuário contrafeito e pirateado, adianta o GAC, entidade criada em 2010 que congrega a AT, PSP, GNR, ASAE, Polícia Judiciária e Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

 

Relativamente ao preço de venda dos produtos apreendidos, o vestuário, calçado e acessórios constituem um montante superior a 50% do total de valor de venda dos produtos apreendidos em 2014.

 

O relatório do ano passado destaca a apreensão efetuada pela ASAE em unidades industriais de impressão, tipografia e tecelagem de mais de 1,7 milhões de etiquetas de diversas marcas que seriam depois colocadas em peças de vestuário e calçado.

 

Ao nível do circuito de produção de material contrafeito, o mesmo documento adianta que no ano passado registaram-se 424 processos crimes, 68 detenções e apreensões no valor global superior a nove milhões de euros.

 

De acordo com CAC, da mercadoria apreendida fazem parte todo o tipo de bens, desde os têxteis à indústria para peças de automóveis, aeronáutica, moldes, produtos farmacêuticos, bem como cigarros, produtos alimentares, artigos elétricos, brinquedos, acessórios de moda e jogos.

 

"Além das perdas de receitas fiscais para o Estado e da ameaça que representa para os postos de trabalho, as repercussões da contrafação são igualmente graves no plano do consumidor, particularmente quando afeta produtos que põem em risco a segurança e a saúde pública", lê-se no relatório.

 

O Grupo Anti Contrafação tem como missão reforçar a cooperação e o intercâmbio de informação estatística sobre a apreensão de produtos contrafeitos e pirateados, a sensibilização da opinião pública e a reflexão em torno do aperfeiçoamento do ordenamento jurídico nacional.

 

A criação do GAC visou não só responder à necessidade de criar uma estrutura nacional capaz de coordenar as autoridades responsáveis pelo combate à contrafação, mas também promover a cooperação entre estas e o setor privado.

 

Please reload

Notícia Relevante

MODALISBOA INSIGHT

01/03/2019

1/10
Please reload

Notícias Recentes

October 19, 2020

October 19, 2020

October 16, 2020

Please reload

Arquivo
Please reload

SIGA-NOS:

  • Facebook App Icon

ANIVEC / APIV

ANIVEC / APIV - Associação Nacional das Indústrias de Vestuário e Confecção

Gerber Task Force

Gerber Task Force

Gerber

Gerber

TopAtlântico

TopAtlântico

GERBER TECHNOLOGY

GERBER TECHNOLOGY

GERBER TECHNOLOGY

GERBER TECHNOLOGY

Fabrics4Fashion

Fabrics4Fashion

The best selection of the finest fabrics for garments!

FUSÃO Comunicação e Imagem

FUSÃO Comunicação e Imagem