SIGA-NOS:

ANIVEC / APIV

ANIVEC / APIV - Associação Nacional das Indústrias de Vestuário e Confecção

October 24, 2019

October 17, 2019

October 17, 2019

Please reload

Notícias Recentes

MODALISBOA INSIGHT

01/03/2019

1/10
Please reload

Notícia Relevante

AICEP - FICHA DE MERCADO ARGENTINA

27/03/2015

A   “Ficha de Mercado da Argentina” (Fevereiro 2015), agora publicada pela AICEP, faz uma análise da economia da argentina, das relações económicas Portugal-Argentina e das condições de acesso ao mercado, apresentando também um conjunto de informações úteis para exportadores e investidores nacionais.

 

 

 

“Argentina, mercado de 42 milhões de habitantes com potencial de desenvolvimento a médio prazo”

 

As exportações portuguesas de bens para a Argentina cresceram em média 7,5 por cento entre 2010-2014, invertendo a tendência em 2014 (-43 por cento face ao ano anterior). Relativamente às exportações de serviços, registou-se um crescimento médio de 5,3 por cento no período 2009-2013.

 

A Argentina foi o nosso 6º cliente no âmbito da região da América Central e do Sul (após o Brasil, a Venezuela, o México, o Chile e a Colômbia) e nosso 3º fornecedor em 2014 (a seguir ao Brasil e à Colômbia).

 

No ranking geral a Argentina ocupou uma posição mais modesta, 55º cliente de Portugal e 54º fornecedor no último ano. 

 

Com 41,8 milhões de habitantes, a Argentina foi a 27ª economia mundial e a 3ª da América Latina (depois do México e do Brasil) em 2013.

 

Em 2014 a economia argentina entrou em recessão, tendo o PIB contraído 0,4 por cento (após +2,9 por cento em 2013 e +0,8 por cento em 2012). As previsões do EIU a curto/médio prazo apontam para uma retoma do crescimento do PIB na ordem dos 0,4% em 2015, acelerando em seguida (+2,4 por cento em 2016 e +3,5 por cento em 2017).

 

As últimas previsões do FMI (WEO October 2014), são mais pessimistas, apontando para uma contração do PIB de 1,5 por cento no corrente ano.

 

A Argentina foi o 43º importador mundial de bens em 2013 (4º da América Central e do Sul). Segundo as previsões do EIU, as importações argentinas de bens e serviços deverão registar uma quebra no corrente ano (-2,5 por cento), invertendo a tendência em seguida (+4 por cento, em média, no período 2016-2017). 

 

 

Este documento pode ser consultado aqui.

 

 

2015-03-24 

 

 

Please reload

Please reload

Arquivo